MENU

29 de julho de 2009 - 15:31Análises

Sai BMW, entra Schumacher

Cheguei a fazer uma busca na Internet para confirmar se hoje não era o dia dos Santos Inocentes, o dia da mentira dos espanhóis que faz com que várias pegadinhas sejam espalhadas por agências de notícias do país. Afinal, é estranho que, num mesmo dia, duas notícias tão impactantes – e, até certo ponto, improváveis – tenham acontecido. Mas não se tratavam de “inocentadas”. Realmente aconteceram. A BMW anunciou que abandona a Fórmula 1. E a Ferrari anunciou que Michael Schumacher está de volta.

A primeira notícia não era de todo improvável. Todo mundo sabe – e Max Mosley alertou várias vezes sobre isso – que as montadoras não têm e nem nunca tiveram compromisso com o esporte. Basta meia dúzia de maus resultados para que executivos que pouco entendem de corridas (e até de carros) acabem com uma equipe numa canetada. E foi justamente o que aconteceu.

O que não se esperava é que tal atitude viesse da BMW, historicamente presente no automobilismo e que há menos de quatro anos comprou a escuderia de Peter Sauber com promessas de fincar o pé na Fórmula 1. O planejamento parecia correto, os resultados vinham acontecendo e a BMW parecia sólida na categoria. Estreou com time próprio em 2006, os resultados vinham melhorando ano a ano, culminando na temporada do ano passado, na qual foi a única equipe a eventualmente fazer frente ao poderio de McLaren e Ferrari, conquistando sua primeira vitória com Robert Kubica, no Canadá.

Mas em 2009, a fábrica cometeu um enorme gol contra. “Inventou” o tal do KERS e convenceu a FIA a fazer com que a Fórmula 1 seguisse neste caminho. Gastou os tubos de dinheiro numa engenhoca que até agora se mostrou um tiro n’água. Levou Ferrari e McLaren (leia-se Mercedes) para o mesmo caminho, abrindo espaço para que emergentes como Brawn e Red Bull começassem a dominar a categoria. Faz uma temporada ridícula, sempre brigando pelas últimas posições com Force India e Toro Rosso. E, de forma covarde, resolve pular fora.

Covarde porque exemplifica o descompromisso de uma montadora com o esporte. Covarde porque demonstra a hipocrisia de unir-se a outras montadoras na briga contra o teto orçamentário na F1 e, semanas depois, sair justamente para cortar custos. E covarde pelo que faz com Peter Sauber, um sujeito realmente comprometido com as corridas, um verdadeiro esportista, que vende sua equipe para vê-la destruída em menos de quatro anos. Bem fez Frank Williams, quando mandou a BMW seguir seu rumo quando Mario Theissen tentava mandar no time. Bem ou mal, em 2010 a Williams estará no grid. A Sauber, não. A Toyota e a Renault, não se sabe.

Em contrapartida, a notícia boa do dia: Michael Schumacher de volta, em substituição temporária a Felipe Massa. A decisão da Ferrari é absolutamente inteligente. A equipe vai mal no campeonato – apesar da melhora nas últimas provas -, virou uma coadjuvante de luxo e perdeu seu piloto mais eficaz. Nada melhor do que resgatar a auto-estima do time com um piloto tão querido pelo grupo, como Schumacher. Ao mesmo tempo, chama para si todos os holofotes dos GP de Valência.

O retorno de um campeão sempre chama a atenção, principalmente no caso de Schumacher, que se aposentou jovem e com praticamente todos os recordes possíveis. A volta do alemão será um grande evento e, ainda que não ande bem e não marque pontos, o gol já está feito.

E aí a pergunta: será que com 40 anos, aposentado há mais de dois e com alguns quilos a mais, o heptacampeão conseguirá ser competitivo? A resposta ainda não se sabe. Mas, no fim das contas, é o que menos importa. Schumacher não tem obrigação nenhuma e não deve mais nada a ninguém. Se andar na frente e der show, será novamente ovacionado como um fenômeno. E se não fizer nada de muito bom – como Nigel Mansell em seu retorno em 1994 -, terá todos os “poréns” utilizados a seu favor: aposentado, fora de forma, sem compromisso, não conhece o carro…

Mas o mais emblemático desta quarta-feira movimentada na Fórmula 1 é o contraste entre a BMW e Schumacher. Enquanto um sai de cena demonstrando um total desrespeito com a Fórmula 1, seus funcionários e com os fãs do esporte, o outro volta de uma aposentadoria pelo puro prazer de competir e por lealdade a quem ajudou a fazer dele uma lenda. Vai dar gosto vê-lo em ação em Valência.

Comentários do Facebook

comentários

89 comentários

  1. Ricardo Medina disse:

    Capelli você lembra que na volta do Mansell em 1994 ele ganhou a corrida de Adelaide?
    Aquela pancada desse mesmo Schummy no Hill deu pro leão a vitória…..

    Capelli e como ficou a renault pra Valencia????? ALguma informação?

    abs

    Parabens pelo Blog

  2. Eduardo Melo disse:

    Concordo com você Capelli, sobre a eficiência. Afinal Damon Hill foi campeão mundial, mas não dá para dizer que ele foi mais piloto que o Moco (José Carlos Pacce).

  3. SPLASHANDGOPENALTY disse:

    CONCORDO PLENAMENTE COM O FATO DE QUE A BMW E A HONDA ERRARAM FEIO AO ABANDONAR A F-1 E QUE AS MONTADORAS,NORMALMENTE,PENSAM MAIS NO SALDO E BALANÇO DE FIM DE ANO;SÓ QUE O ERRO GROSSEIRAMENTE MAIOR FOI DA FIA,COM O PRÓPRIO MAX MOSLEY ELABORANDO REGULAMENTOS TÉCNICOS E PROPOSTAS ESDRÚXULAS QUE DESAGRADAM AOS COMPETIDORES E ÀS EQUIPES;VIDE O CAMPEONATO DE 2006,ONDE A FIA ESTIPULOU A FABRICAÇÃO DE NOVOS MOTORES V-8,QUE GERARAM GASTOS ENORMES POR PARTE DAS EQUIPES;E MAIS RECENTEMENTE O KERS.

  4. Arthur disse:

    Ridson chega de fazer propaganda desse teu blog aqui!!!!
    Capelli você acha que essa temporada que começou tão monótona promete ser mais emocionante que a passada ?

  5. Mauricio disse:

    PILOTOS, TREMEI !!!

  6. Ridson disse:

    queria só aproveitar o espaço para divulgar:

    Ola a todos que conferem este blog, queria divulgar aqui a coluna ” Uma Opinião”, que esta semana fala sobre Rubens Barrichello

    Acredito que fiz uma crítica no sentido real da palavra, procurando atribuir uma análise de pontos positivos e negativos, e do que Rubens representa para mim na F1 desde a minha infância, afinal ele é um elo dessa infância e ainda é o piloto pelo qual torço por melhores resltados.

    A todos que puderem conferir, um abraço

    http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/07/uma-opiniao-rubens-barrichello.html#comments

  7. Bruno R. disse:

    ele venceu em número de pontos (12×9), e teve o único pódio da sauber na época…

  8. Bruno R. disse:

    “Eu sou fã do Kimi! Desde que o polaco estava na Sauber surrando o Heidfield…”

    até onde lembro, quem foi melhor foi o heidfeld…

  9. Marco Toyota disse:

    O alemão está levando a serio a possibilidade de correr em Valencia!

    Já está em Maranello brincando com o simulador e também pediu emprestada uma Ferrari de 2a mão (provavelmente uma F-2007) prá desenferrujar os braços.

  10. Joshué Nunes Fusinato disse:

    interessante como a volta do Michael Schumacher “engoliu” a saída da BMW Sauber da categoria. isso só demonstra que a F1, por mais corporativista que esteja nesses últimos 10 anos, ainda é feita de pessoas.

  11. Tiago S. disse:

    A pergunta é: Schumacher com 40 anos no grid faz do Rubinho o segundo piloto mais velho do grid? hahah

  12. Ridson disse:

    http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/07/comentando-as-diversas-noticias-que.html

    confere lá esse post. e se puder, em breve confere outro post que farei mais tarde, na nossa coluna Uma opinião, sobre Rubens Barrichello

    até lá

  13. Fabio disse:

    4 campeões mundiais na pista é um fato raro, mas que aconteceu até recentemente, quando tivemos Schumacher, Hill, Villeneuve e Hakkinen na pista. Já 11 títulos mundiais juntos, é um feito que penso ser inédito.

    Senna, Piquet, Prost e Mansell, que foram contemporâneos e somados ostentam os mesmos 11 títulos, nunca chegaram a alinhar todos esses títulos ao mesmo tempo. Quando o fizeram pela última vez, em 91, Piquet e Prost tinham 3, Senna 2 (conquistava seu 3.o naquele ano) e Mansell nenhum. Depois, em 92, enquanto o Mansell vencia, o Prost tirava um ano sabático. E em 93, enquanto Prost conquistava o tetra, o Mansell acelerava na Indy e Piquet havia se aposentado.

  14. Rodriguera disse:

    entendi…

  15. rafa doidão disse:

    para gené e badoer agora so resta a aposentadoria e os poucos testes q lhe restam.

    pelo menos badoer levara o eterno recorde da f1 de 49 largadas sem pontos.

    o schumacher voltou e agora teremos 4 campeões no grid acho q nunca vi isso antes.
    o bicho vai pegar mesmo.

  16. Odinabo disse:

    Não concordo com essa crucificação da BMW da sua parte, Capelli, vendo pelo lado prático, sem deixar o lado amador subir à cabeça.
    A BMW, bem como outras montadoras, estão sem lastro suficiente para queimar num esporte que vem tendo sua imagem danificada com o passar do tempo.
    Somente agora, na Hungria, que uma equipe de fábrica (a que menos aparece como tal) conseguiu vencer uma prova.
    Isso é deprimente para quem sempre achava que, com dinheiro e um gigantesco pavilhão de engenheiros, computadores e toda tecnologia disponível, teria retornos rápidos e satisfatórios.
    Ver uma “embrionária” Brawn dominar a maior parte da primeira metade do campeonato, seguida de perto por uma equipe de uma empresa de energéticos faz com que todos os executivos de BMW, Renault, Toyota, Mercedes e Ferrari gastassem metade de seus honorários com psicólogos.
    O maior motivo dessa má colheita é, sem dúvida, as constantes mudanças de regulamento, ano após ano, inclusive com retornos de regras abolidas.
    A BMW está coerente com a realidade das coisas e não há covardia alguma nessa atitude.
    Ela simplesmente decidiu não mais ser agredida passivamente.
    Pode aguardar notícias desse tipo com relaçào à Renault, em primeiro lugar, e depois Toyota.

  17. Marquêra disse:

    Como é bobo esse torcedor do Kimi aqui do blog.

  18. KBESSA disse:

    Rodriguera eu sei… O POLACO que me refiro é em relação ao semblante amarelo e branco dele… Gíria regional, nada mais que isso… Devia ter colocado aspas pra deixar claro! Mesmo assim fico agradecido!

  19. Eric disse:

    A galera anda exagerando aí, o Capelli não falou nada demais, o Kimi já não é mais o mesmo desde 2005, além de receber um salário exorbitante e não corresponder, sequer tem andado a frente do Massa desde o ano passado (O que seria obrigação por ser campeão mundial).

    O comentário do Vladimir “Charles” Brown foi infeliz, pois o Capelli comparou desempenhos de pilotos diferentes na mesma equipe e no mesmo ano em que competiram com o mesmo carro, e não pilotos de gerações diferentes, que competiram com carros diferentes e com regulamentos diferentes.

  20. Rodriguera disse:

    KABESSA,

    Kimi eh finlandes…

  21. Fabiano disse:

    Essa equipe poderia se chamar CPI-F1

  22. Marcio disse:

    Simples, a Petrobras compra a BMW Sauber, se torna Petrobras F1, e coloca Nelsinho e Bruno Senna para pilotar.

  23. KBESSA disse:

    Cumprimentos a todos…

    Não sou muito comentar mas não contive meu “comichão” agora… Só quero deixar bem claro que não estou sendo passional com nenhum “brasileirinho”, como muita gente que passa pelo blog demonstra!

    Vi que alguns colegas aqui não concordam com o “perdeu seu piloto mais eficaz”, porém devemos observar alguns aspectos importantes de 2007 pra cá…

    Eu sou fã do Kimi! Desde que o polaco estava na Sauber surrando o Heidfield… Tanto que vibrei quando ele foi campeão em cima das MacLarens! Mas se formos bem frios e calculistas isso só aconteceu por algumas “cagadas” (e que rebosteio!) que a equipe prateada cometeu naquele ano!

    Depois disso, Kimi realmente não apareceu mais, principalmente no ano passado! Podem falar o que quiser, sorte ou azar no final das contas, foi um ano muito ruim mesmo!

    Agora o Felipe vem, constantemente, sendo mais rapido que o Kimi sim, senhor! Em classificação e corrida. E que mais me chama a atenção é que quando Kimi está na frente (poucas vezes) a diferença entre os dois é menos de 1 décimo na maioria das vezes…

    Então, quando o Capelli cita “some os pontos conquistados pelos dois pilotos nos três anos em que dividiram a equipe” é o resumo da ópera. Analisando os fatos, o Felipe está sendo um piloto de ótimo custo-benefício pra equipe de Maranello, diferente do seu companheiro com um contrato regado à milhões de euros.

  24. Klauss disse:

    Capelli,

    Vi a resposta ao meu comentário, mas aí ficam mais uma indagações:

    - A gente sabe que o Mosley queria mudanças ainda mais “escalafobéticas” (como o campeão apenas pelo número de vitórias, que foi vetado pelas equipes), então quando assinaram, foi depois de muita negociação – essa negociação não poderia envolver um pouco a coisa do “the show must go on”? Já que a idéia de um capeonato da FOTA tinha sido afastada durante um ou dois anos, deve rolar a filosofia do “melhor assinar agora, depois usamos a carta na manga”, não acha?

    - Nesse caso a falta de respeito não seria só da BMW, mas de todas que assinam com esse fim e depois saem quando as regras não as ajudam…

    Aí sim, concordo com aquela sua frase que diz que o problema de uma F-1 de montadoras pode sempre levar a essa falta de comprometimento com o esporte.

    Só que daí não sei tb se a falta de comprometimento não pode ser aplicada tb ao Mosley. Parece que o que ele mais tem é fetiche por ter poder nas mãos que comprometimento com o esporte… Sei lá, eu não engulo mais o Mosley e essa sua F-1 mutante, e ainda assim, aquele fetiche dele por suásticas pra mim não deixa de ser algo sintomático!

    • Capelli disse:

      Klauss, esse é um daqueles casos clássicos em que todo mundo tem um pouco de razão, ao mesmo tempo em que ninguém tem. Max está certo em querer limitar o poder das montadoras e em exigir um corte de custos, ao mesmo tempo em que as montadoras estão certas em lutar contra os desmandos e mudanças esdrúxulas de regulamento da FIA.

  25. Antonio disse:

    - BMW, chupa!
    - Mario Theissen, chupa!
    (Se quiser deixar o motor e “o polonês voador”, a “casa de Grove” agradece!)

    - Ah!
    - Rosberg, “vai plantar batatas”. Vê se pára de me enganar e começa a andar, porque o carro melhorou; e muito!
    - Acorda! “Rei da sexta” você já não é mais.

    -Kazuki, chega de “máscara”, larga a F1 e vai virar ator pra ver se te contratam pro próximo “Fast n’ Furious – Tokyo drift”.

    Abraço,
    Capelli.

  26. Rodriguera disse:

    capelli, o kubica tinha contrato ate o fim de 2010…nesse caso a BMW tem que pagar alguma multa de rescisao contratual ou geralmente as equipes colocam clausulas isentando desse pagamento em caso de saida da categoria?

  27. Júlio disse:

    Adorei a notícia do “retorno” do Schumacher, mesmo que por apenas uma ou outra corrida. É sempre bom ver um fenômeno na pista novamente e poder brigar com os novos…

    Sobre a saída da BMW fico pensando em seus pilotos… Kubica deve ter lugar garantido, pois já provou sua capacidade e deve ter equipe se batendo para conseguir contratá-lo, o Heidfeld deve ficar tranquilo também, é um cara experiente, alguma das equipes novas deve empregá-lo ano que vem… Com isso, as chances dos brasileiros Bruno Senna, Lucas di Grassi, Nelsinho Piquet e Barrichello vão se esvaindo…

  28. Ridson disse:

    meus posts estão ficando presos na moderação…o.o

  29. Ahn, lembrei de um detalhe agora. Mestre de cerimônias da Globo, durante a transmissão da corrida, disse que o Lauda se especializou em dizer bobagens quando falou que a Ferrari devia botar o alemão no carro até o Massa voltar. Na próxima etapa ele vai dizer “eu sabia!” ?

  30. Leonardo Pinheiro disse:

    Apenas para corrigir duas informações que eu escrevi em meu comentário: Schumacher fez sua estreia na Bélgica/91 em 25 de agosto (ou dia 23, se considerarmos os treinos de sexta-feira…), enquanto o GP de Valencia será disputado em 23 de agosto, e não o contrário como eu havia escrito. Como diria Nelsinho Piquet, “Sorry, guys…”

  31. Leonardo Pinheiro disse:

    Capelli, acho que há certa semelhança envolvendo a volta do Schumacher e o início dele na Formula 1. Quando ele estreiou, em 1991, não conhecia o carro (Jordan) nem a pista (Spa) e foi a sensação dos treinos. E detalhe: era a 11ª etapa do campeonato, disputada em 23 de agosto. Agora ele volta, também para a 11ª etapa, marcada para 25 de agosto. Não conhece o carro, porque nunca o pilotou, nem a pista de Valencia. Será que ele pensou nisso quando aceitou o convite?? É claro os pilotos substituídos por ele estavam em situações bem diferentes, já que em 91 ele entrou no lugar de Bertrand Gachot porque o mesmo foi preso por agredir um taxista com spray de pimenta em uma briga de trânsito. Será muito interessante vê-lo pilotando contra a garotada de hoje e em condições adversas como as atuais. Espírito de competição é isso aí. Já os alemães da BMW…

  32. Capelli, além dos já citados e raros campeões dividindo a mesma equipe – ainda mais na Ferrari – acredito que este seja o grid com mais títulos reunidos. Dei uma pesquisada e não encontrei nenhuma corrida que reunisse mais títulos que a próxima. Estou errado?

    http://blogpitlane.blogspot.com/2009/07/o-grid-mais-recheado-de-titulos.html

  33. fernando amaral disse:

    A impressão que tenho é que a F1 cada vez mais tem menos a ver com carros de rua. Ela mais absorve da indústria aeroepacial do que cria tecnologia para a indústria de carros. Altíssima performance no sentido da velocidade não deve ser prioridade para nenhuma grande montadora que se preze. Essas não deviam mesmo se meter a ter equipe na F1.

  34. Marcelo Racer disse:

    Capelli, com o anúncio da Ferrari de um novo piloto no carro número 3 nesta temporada apareceu uma dúvida: como fica o limite de oito motores por temporada? O regulamento diz que é por carro ou por piloto? Se for por piloto será que a Ferrari (não que isto vá resolver todos os problemas dela) vai fazer um foguete para o alemão já que ele irá disputar no máximo 7 corridas ou o congelamento dos motores vai impedir isto? Pelo menos o alemão poderá forçar dos motores um pouco mais?

  35. Tailson disse:

    Esse blog devia ser proibidos para menores, para evitar comentarios esse ai em cima.
    Capelli muita gente condenou Max Mosley pelas suas imposições arbitrárias no começo da temporada a exemplo do estabelecimento do teto orcamentário. Diante dessa conduta da montadora BMW você não acha que ele estaria apenas defendendo a F1 ao invês de apenas querer medir poder político com as equipes como muitos acham ?

  36. ELF_TL72 disse:

    Rubinho e sua linha de brinquedos: depois do carro que desmonta, do Mario Kart Edition, da mola-maluca e do “quebra-cabeça” do Massa, vem aí novamente o “siga-o-mestre” (2ª edição em alemão)…

  37. Leandro Miranda disse:

    Santos Inocentes é 28 de dezembro.

  38. Diego Vilas Boas Teixeira disse:

    Nossa estou super feliz…com a “Volta” memos que temporaria do “Sapateiro”!…
    como sou fã do Schummi…hehe…estou adorando…e nao me surpreenderia se ele der show …como de costume…hehe…e sobre a BMW( Por isso que eu gosto mais da Audi e da Mercedez) nada a dizer Mosley jah havia dito tudo…antes…E coitado do Sr. Peter Sauber…

    Ah jah ia me esquecendo…Capelli se possivel for…coloque alguma materia de pilotos que aposentaram e voltaram anos depois…
    abraços…

  39. Arthur Simões disse:

    Po,pensei na hora no Peter Sauber.
    Como que ele vai ficar??Vai pro turismo,vai dar uma de Ross Brawn,vai se afastar das corridas…??

    É,nessa história a BMW não foi nada “sauber”,com o pobre Peter Sauber…(hehehehe mongol,mas inevitável)

    Bela jogada de marketing da Ferrari.Quem agradece são os organizadores do GP de Velencia,iam ficar sem Alonso.Agora estão com Schumacher…

  40. Szeliga disse:

    um só alemão vale mais que um time inteiro deles…

  41. Szeliga disse:

    dá-lhe Schummy!!!!
    hahahaha

    ganhar eu nao garanto, mas tou apostando num podio….

  42. anônimo disse:

    A vida não deixa de ser irônica. Uma mola se desprende do carro de Rubens Barrichello e Michael Schumacher está de volta. Hummm… o dono da mola deve estar agora maldizendo todos os santos do universo!

  43. Tiago S. disse:

    Nelsinho deletou o twitter? ou só eu nao consigo entrar?

  44. Sidewinder disse:

    Putz! Engoli de novo minhas próprias palavras quando disse no Blog Victal que o retorno do Schumacher era muito improvável.
    Agora despertou muito a curiosidade do que ocorrerá na próxima etapa. É muito bom ver o retorno daquele que é o maior vencedor ( não estou dizendo o maior piloto ) de todos os tempos na categoria.
    Mesmo que ele não suba ao pódio, acredito que ele proporcionará algum espetáculo.

  45. Bernie disse:

    O Capelli, o Mansell ganhou a corrida da Austrália em 1994, ainda que os dois “top” da temporada, Hill e Schumacher, tivessem fora, ele ainda proporcionou um belo espetáculo de pilotagem bara vencer a Ferrari do Jean Alesi. Nunca se desvaloriza vitória né?

  46. Ridson disse:

    http://historiasevelocidade.blogspot.com/2009/07/bmw-ta-forae-o-que-isso-significa-para.html

    Capelli e toda a galera que confere o blog, confiram lá um post falando sobre a saída da Bmw na categoria, mas abordando o assunto debate da redução de custos e a inserção de novas equipes…

    Esse é um post da parte da manhã, mas como está relacionado com o seu, resolvi divulgá-lo aqui

  47. João disse:

    Dizer que a bmw abandonou o esporte é um pouco idiota demais, ela abandonou apenas uma categoria do esporte. A f1 sem as montadores não é f1 seria uma simples stock car mundial, quer dize, quem sabe não vimos novamente um carro com 6 rodas no ano que vem, palhaçada

  48. KImi disse:

    Veja quantos titulos cada um ganhou em 3 anos de parceria =)

  49. Luiz G disse:

    Pergunto ao Capelli:

    - Vem aí a ThiessenGP ?

    -Schumacher supera Raikkonen?

  50. Luiz G disse:

    –Acho que a “era” das montadoras vai acabar rápido. Não tem nenhum compromisso com o esporte e basta UMA temporada ruim e já tiram o time de campo. Talvez a F1 seja um campeonato para construtores independentes mesmo.

    Uma piada a saída da BMW.

    – Schumacher de volta?? Acho maravilhoso pelo espetáculo, mas ele é louco de voltar. Devia aproveitar sua merecida aposentadoria e fazer outras coisas na vida….mas enfim, Shumacher não pensa como eu.

  51. Zé Pedro disse:

    Bom comentário, Capelli.

    Discordo apenas de que se deva somar os pontos dos três anos em que estiveram na mesma equipa (falo do Filipe e do Kimi). Convém não esquecer que o Kimi é o único campeão.
    Mas adiante, que isso é o menos.

    Dizem que o Schumacher tem de testar ilegalmente para estar ao nível. Discordo. Com os simuladores que agora as equipas têm, basta lá passar umas horas e deve conseguir.
    E em termos de resultados, vejo duas situações possíveis: o Kimi atravessa a faca nos dentes para não ficar pior colocado do que o Schumacher, e então até poderemos ter a 1ª vitória da Ferrari este ano; ou então, desanima por a equipa se virar para o seu colega de equipa, e afunda.

    A ver vamos, mas acredito mais na 1ª hipótese.

    Continue com o bom trabalho, Capelli.

  52. Klauss disse:

    Quanto À volta do Schummy…

    Bem, se ele mostrar que ainda é o cara e não fizer como o Mansell em 1994, vai por água abaixo essa história de Alonso na Ferrari – o que eu acharia uma pena!

  53. Klauss disse:

    Capelli,

    Como normalmente deves ter acesso a fontes primárias, não vou contestar a história de que a BMW deu um tiro na água com o KERS e que se deu mal se a sugestão dada à FIA realmente foi dela…

    Mas, contesto de certa forma a coisa da falta de respeito, pois a ascensão da BMW era óbvia até o ano passado, e ela não foi a única que saiu perdendo com a radical mudança de regulamento esse ano. Sempre me incomodou MUITO a política do Max Mosley de criar regras aleatórias e gerar falsa competitividade jogando com as dificuldades e/ou facilidades das equipes para se adaptarem às regras. Que no fim, é o que vem determinando os campeonatos de uns tempos pra cá – vence o campeonato quem se adapta melhor ao novo regulamento, não necessariamente o mais rápido! E daí a hipocrisia com corte de custos é mais da própria FIA que das equipes, já que é essa necessidade de fazer alguém inventar algo inovador, ou de achar uma brecha no regulamento que faz as equipes gastarem os tubos em desenvolvimento…

    Se eu tivesse uma equipe, ou fosse manager de alguma montadora, com essa palhaçada toda, se visse meu trabalho ir por água a baixo por causo de mudanças de 180º criadas pela federação a cada 1 ou 2 anos, já teria pulado fora faz tempo!

    Afinal, vc se mete a vencer qd conhece as regras e descobre como utilizá-las a seu favor, e esse método do Max Mosley faz com que toda temporada as equipes ainda estejam naquela de “vamos ver o que dá” pra ver quem descobre primeiro…

  54. Fabricio stein disse:

    Sem BMW a sauber jamais teria vencido uma corrida, e agora o senhor sauber pode pegar todo dinheiro que ganhou e continuar sua equipe.

  55. sergio murilo disse:

    e o chilique q o bundão bueno deu dizendo q o nikki lauda tava doido em dizer pro schumi substituir o massa !!!
    chupa galvão !!! mais uma vez

  56. Dante disse:

    Olha só, teremos 4 campeões mundiais correndo nessa temporada! Schummi, Alonso, Raikkonen e Hamilton!

    Só não vai ser no GP da Europa, por causa da punição da Renault. Por falar nisso, os F1 não têm mais aquele cabo que prendia a roda ao carro, não?

  57. Aderson disse:

    Na minha opinião, Schumacker tava doido por uma oportunidade de poder guiar o modelo F60. Com todas essas novidades tecnicas impostas pela FIA, é algo bem diferente dos carros que o Alemão já pilotou na F1.
    Foi tanto comentado pela imprensa que a Ferrari estava preocupada em colocar o Gene ou o Badoer, pois eles não tinham ritmo de corrida.
    E o Schumacker, fora da F1 desde 2007, está como?

  58. Terramex disse:

    Éééé, vou comprar pipoca !!!

  59. Dante disse:

    Galvão no domingo:
    “É isso mesmo que você tá vendo, amigo… O alemão está de volta!”

  60. Vermeulen disse:

    Confesso que sinto pena de Peter Sauber. Ele lutou bastante para montar sua equipe, ficou lá durante 13 anos, de 93 a 2005, e agora vê a BMW sair assim, sem consideração. O mais incrível é que, pelo que eu li, a decisão foi tomada… ontem. Algum execultivo, que não entende nada de corridas, acordou e decidiu encerrar as atividades da equipe. Lamentável!

    Schumacher de volta é sensacional! Se os organizadores do GP em Valência reclamavam da baixa procura pelos ingressos, acho que agora vai faltar arquibancada. Só falta, como deve acontecer, a confirmação de que Alonso corre também.

  61. Tempest disse:

    Capelli, gosto muito de você, mas gostaria apenas de pedir uma coisinha. Por favor, pare de usar tantos “absolutamente”. Já tenho de ouvir o Galvão dizendo isso sempre. Existem outros “mente” iguaismente (trocadilho sem intenção) eficazes. E espero que o “absolutamente” não vire uma moda como os gerundismos com os quais convivemos até hoje.

  62. Boni disse:

    Putz, o Rubinho é tão azarado, tão azarado, que “graças” a ele, Schumacher está de volta.

    Só falta o alemão ganhar uma corrida e ele chegar em segundo.

  63. pedro disse:

    hauahuha rubinho vai fica atras do ingles e do alemão de novo…

  64. Concordo com o Fernando Horta quanto ao Mansell. Em 1995, de fato, a participação do Leão foi pífia, até porque o carro da McLaren não era lá estas coisas. Mas também não sei se concordo com o termo “piloto mais eficiente” em relação à dupla Massa-Raikkonen. Se a argumentação é número de pontos, o fato é que o finlandês foi o único piloto a se sagrar campeão do mundo que, afinal, é o objetivo principal de conquistar pontos. Sei que exagero na comparação, mas é como dizer que o David Coulthard foi mais eficiente que o Nelson Piquet porque tem mais pontos.

  65. Leonardo disse:

    Só acho que essa história do KERS ter sido um tiro no pé uma meia verdade. No âmbito esportivo, foi um grande erro, tudo bem… mas montadora entra em corrida para vender e desenvolver carros. E os carros da BMW tem o tal do Kers (não sei nem se é opcional ou série), componente que está alinhado com a imagem de ser “sustentável” que a empresa quer passar.

    Ajudando a vender carro, tá beleza pra eles. Ganhar corrida é secundário. Goste ou não é esse o modo de pensar de metade das equipes da F1 (ah, também vale a máxima “ajudar a vender energético, tá beleza”).

  66. vitor disse:

    capelli isso de somar os pontos nos 3 anos e ver quem fez melhor n tem nada a ver…ate pk n depende so dos pilotos, mas sim tb da concorrencia que existe nessa epoca…em 2007 havia kimi alonso e hamilton, massa tb teve vitorias, mas perdeu as hipoteses antes dos 3 ultimos gp’s…no ano passado so foram dois, pelas mais diversas razoes, os pilotos a lutar pelo campeonato ate ao fim…
    o schumacher ou testa o ferrari as escondidas e ilegalmente ou entao vai levar rectada de mt gente no GP de valencia…a f1 t mt diferente e ele esta sem competir…e tudo MARKTING!!

  67. Otávio Siqueira disse:

    É um espetáculo a fórmula 1 em 2009!

  68. Excelente nota, Capelli. Concordo absolutamente na análise da BMW, e quase totalmente na do Schumacher. Não acho a volta do Leão um “não fazer nada de bom”. A corrida dele no Japão, em particular a briga com o Alesi, e a vitória na Austrália foram dignas de nota. Embora ele não conhecesse bem o carro e tivesse uma dúzia de desculpas pra dar.

    Abraços!

  69. Hugo Borghi disse:

    Ô Capelli,
    Tira esse fundo azul!!!!
    Não dá prá ler nada no teu blog. É uma pena, pois gosto muito dos seus comentários…
    Abraço,
    Hugo # 71

  70. William disse:

    Estou curioso para ver Schumacher correr . Mas quero logo devolta o Massa :(
    ainda quero ve-lo campeão e calando a boca de muitos criticos !!!
    sobre a BMW é uma pena pq 2 pilotos irão perder o emprego um deles Kubica que é um bom piloto .

  71. ebiscaia disse:

    Acho que o Thiessen desta vez teve que ficar quieto, a ordem veio de um patamar acima do dele.
    E espero que o alemão arrebente.

  72. O que mais indigna é que a BMW fazia coro na FOTA contra o limite de orçamento e depois sai por problemas de custo. Mais hipócrita, impossível.

    Em protesto não vou comprar mais BMW.

  73. Luca disse:

    Que beleza! Schumacher de volta.
    Nada como a roleta da sorte para mudar tudo…

    P.S.: Não entendi o não publicamento do meu comentário sobra a punição de Alonso.

  74. Squa disse:

    Quando foi a última vez que uma equipe teve 2 campeões mundiais em seus cockpits?

  75. Mandruvá disse:

    Homem de seriedade indiscutível esse Schumacher
    Mario Thiessen Sucks!!!!

  76. Não tem nada a ver com o assunto do seu post mas…
    Olha aí Capelli. Homenagem do Alguersuari para o Henry Surtees no GP da Hungria.

    http://4.bp.blogspot.com/_9m-15svbw4U/Sm_B4WYdPII/AAAAAAAAAmc/_xJ6maDTeXk/s1600-h/alguersuari_capacete.jpg

    abraços

  77. Sheldonn Rêis disse:

    Boa análise Capelli. Realmente a atitude da BMW foi super covarde. Lembremos do que representou a sauber e dos bons talentos que ela nos trouxe como Kimi Raikkonen que correu por lá em 2001 e o próprio Felipe Massa que correu por lá em 2004 e 2005. Uma equipe realmente muito compromissada com o esporte e sobretudo com a vontade de ser uma equipe vencedora e foi isso que motivou o gente boa Peter Sauber a vendê-la para a BMW.
    Quanto ao alemão Michael Schumacher os comentários devem ser dispensado. Um dos maiores nomes do automobilismo que influenciou toda uma geração a entrar na F1, jejamos quanto pilotos alemães temos hoje. Schumacher foi um piloto excepcional e certamente o seu carisma trará os holofotes para a Ferrari novamente. Espero sinceramente que isso ajude a equipe alavancar e voltar a brigar pelas primeiras posições. Que bom ver o alemão denovo nas pistas, vai ser demais.

  78. RT ivancapelliSai BMW, entra Schumacher. Os paralelos entre as duas notícias do dia. http://bit.ly/uD3iu

  79. KImi disse:

    “perdeu seu piloto mais eficaz” .. kra sinceramente .. pensa antes de ficar publicando besteira!

  80. Thiago Raposo disse:

    Muito Bom…Dá-lhe alemão…Supremo maior campeão do Mundo…

  81. Capelli disse:

    Sai BMW, entra Schumacher. Os paralelos entre as duas notícias do dia. http://bit.ly/uD3iu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>